Acerca de mim

Um pouco sobre mim

Nascido na Freguesia da Foz do Douro, Porto, berço da minha infância e juventude, mudei-me mais tarde para o "coração" da vizinha freguesia de Nevogilde, onde vivi alguns anos, freguesia que em tempos idos foi parte do concelho de Bouças (actualmente Matosinhos), considerada também como Foz, particularmente a sua frente marítima, destacada pelas avenidas do Brasil e de Montevideu, Após a reforma administrativa do Porto, S. Miguel de Nevogilde passou a fazer parte integrante da cidade e uma das suas quinze freguesias. Refiro o local onde vivi como "coração" da freguesia de Nevogilde, pelo destaque que o Largo (com o mesmo nome) merece, por ser o ponto principal de Nevogilde, largo que, tal como referiu em tempos o historiador Germano Silva, num artigo publicado no Jornal de Notícias: “é um dos raros recantos do Porto onde o urbanismo moderno não matou definitivamente o ambiente de ruralidade que por ali se respira”. Há mais de 30 anos fixei-me em Matosinhos, onde actualmente resido, próximo ao mar, mar esse que me viu nascer e sem o qual já não me habituava a viver. Gosto do seu barulho, do seu silêncio e do seu cheiro. Gosto de o sentir por perto e de caminhar junto a ele. Ele faz parte da minha vida.

quinta-feira, 28 de abril de 2011

FIGURAS DA FOZ DO DOURO

Quem se lembra do Neca Nau, ou simplesmente Nau?



Manuel, seu primeiro nome (confesso que não me lembro dos seus apelidos) vivia numa pequena casa da rua da Beneditina, com a mãe e a irmã – Nina, ou Nina do Nau, como era conhecida.

Homem dotado de extraordinária força (lembro-me de o ver levantar um carro, marca volkswagen “carocha”, a pulso, do lado do motor) fazia toda a espécie de recados, particularmente transporte de cargas às costas. Mas ele, como a irmã, eram mentalmente debilitados.

Nas ruas muitas vezes era apupado ou motivo de constantes “piropos” por miúdos e até por algumas pessoas mais velhas, que gostavam de o ver zangado. Tais atitudes levavam a que ele arremessasse pedras ou corresse atrás de quem o provocava. Também muitas vezes lhe davam bebidas, especialmente vinho, para o verem embriagado.



A imagem dele, que aqui coloco, reproduz a sua participação como figurante no cortejo do traje de papel, das festas de S. Bartolomeu na Foz do Douro, na figura de Gugunhana, em 1965, no célebre cortejo alusivo à história de Portugal.

Mas a organização, a cargo do saudoso Joaquim Picarote, teve imensa preocupação nesta participação do Nau. Desde logo mantê-lo em lugar seguro e vigiado durante a noite, que antecedeu o evento, para que ninguém conseguisse embriagá-lo e com isso inviabilizasse a sua participação. Também durante o cortejo foi necessário “segurá-lo” porque ao longo do percurso muitos foram os que lhe mandaram uns “piropos” de que não gostava.

No início de 1975, depois da morte de sua mãe, já sem forças para angariar uns escudos, vivia com a irmã numa pobreza extrema, embora tivessem a ajuda de vizinhos e amigos. A comissão administrativa da Junta de Freguesia, nomeada depois do 25 de Abril, até à realização da primeiras eleições autárquicas livres, atribuiu a ambos um pequeno subsídio mensal. Porém alguém se havia já interessado pela situação em que estas duas criaturas viviam e conseguiu que a segurança social lhe atribuísse uma pensão mensal vitalícia.

A propósito disso queria dar conta de um facto marcante. Quando recebeu a primeira quantia da Segurança Social, Neca, dirigiu-se à Junta de Freguesia para informar que já não necessitava do montante que a autarquia lhe atribuía mensalmente, pelo que poderiam entregar esse valor a quem estivesse mais necessitado. Fui eu que o atendi, porque nesse tempo os autarcas não se encontravam na Junta durante o horário de funcionamento. Não mais esqueci esta atitude do Neca, digna do maior apreço. Quantos tomariam tal atitude?

Já faleceu há uns anos, bem como sua irmã.

Recordo-o como um homem humilde, educado e respeitador, apesar da sua condição e das suas limitações. Não era agressivo, mesmo alcoolizado. 
Texto de Agostinho Barbosa Pereira.

Imagens de Matosinhos à Foz do Douro

Seguidores