Acerca de mim

Um pouco sobre mim

Nascido na Freguesia da Foz do Douro, Porto, berço da minha infância e juventude, mudei-me mais tarde para o "coração" da vizinha freguesia de Nevogilde, onde vivi alguns anos, freguesia que em tempos idos foi parte do concelho de Bouças (actualmente Matosinhos), considerada também como Foz, particularmente a sua frente marítima, destacada pelas avenidas do Brasil e de Montevideu, Após a reforma administrativa do Porto, S. Miguel de Nevogilde passou a fazer parte integrante da cidade e uma das suas quinze freguesias. Refiro o local onde vivi como "coração" da freguesia de Nevogilde, pelo destaque que o Largo (com o mesmo nome) merece, por ser o ponto principal de Nevogilde, largo que, tal como referiu em tempos o historiador Germano Silva, num artigo publicado no Jornal de Notícias: “é um dos raros recantos do Porto onde o urbanismo moderno não matou definitivamente o ambiente de ruralidade que por ali se respira”. Há mais de 30 anos fixei-me em Matosinhos, onde actualmente resido, próximo ao mar, mar esse que me viu nascer e sem o qual já não me habituava a viver. Gosto do seu barulho, do seu silêncio e do seu cheiro. Gosto de o sentir por perto e de caminhar junto a ele. Ele faz parte da minha vida.

domingo, 1 de janeiro de 2012

Figuras e imagens da Foz do Douro de outrora

Nestes interessantes postais antigos podemos apreciar dois rostos de anónimos da Foz do Douro de outrora.

O primeiro, trata-se da imagem de um pescador consertando as redes da pesca, no tempo em que esta freguesia ainda tinha grande actividade piscatória.

Não consta a data da sua edição, pela Union Postale Universelle, mas este exemplar possui um manuscrito datado de 14/08/1903.


O segundo, também editado pela Union Postale Universelle e sem qualquer referência à data, é do rosto de uma peixeira que para nós fozenses lembra-nos alguém que conhecemos. Rosto marcado pelos anos mas que nos é, diria, familiar. E porquê uma foto de uma das peixeiras da Foz do Douro, editada em postal? Não seria certamente colecção de postais de actividades profissionais. Mas um rosto que motivou o interesse em mostrar e divulgar, julgo, pela editora.



O terceiro. editado por Emílio Biel & C.ª, apresenta-nos imagem do Passeio Alegre, já depois de construído o jardim com o mesmo nome, onde se pode ver, na zona da Cantareira, a estrutura que servia de suporte para o conserto das redes de pesca pelos pescadores fozeiros.














Agostinho Barbosa Pereira 

Sem comentários:

Enviar um comentário

Imagens de Matosinhos à Foz do Douro

Seguidores